e-escola

Fenacite Intermédio

Publicado em 11/03/2010 

Ocorrências

Ocorrências de Fenacite em Portugal Continental

Fig. 5 – Ocorrências de Fenacite em Portugal Continental. Mapa produzido em colaboração com DGEG Link externo (Outubro 2009).

Ocorrências em Portugal(*)Tooltip

Tal como acontece a nível mundial, a fenacite é muito rara em Portugal. As ocorrências listadas até ao momento referem-se a unidades tardias em pegmatitos graníticos com berilo. Os cristais de fenacite de qualidade gema, tomando como exemplo o pegmatito (stockscheiderGlossário do Seixigal Player (Pereira, 2005)), ocorrem na dependência de uma estrutura tardia, onde predomina a fracturação hidráulica de unidades pegmatíticas mais precoces, geralmente bandadas Player. Estas unidades são de carácter brechóide, têm preenchimento essencialmente quartzoso e fosfatado (várias gerações e tipos de apatite Player). A fenacite acompanha o quartzo Player, formando crustificações no interior de algumas cavidades. Nesta paragénese encontramos, em muito menor quantidade, outros minerais de berílio – bertrandite e hidroxiherderite. Durante o estudo conduzido por aquele autor, entre 1998 e 2005, não foi registada nenhuma ocorrência de berilo, apesar de esta ser muito provável (fontes orais).

  1. Pegmatito do Seixigal – Pereira do Selão – Vilas Boas – Chaves – Vila Real.
  2. Pedreira Companheiro Nº3 em Sezures, Penalva do Castelo – Viseu.
  3. Pegmatito da Sra. da Assunção em Aldeia Nova, Ferreira de Aves, Sátão – Viseu.
  4. Mina Lagares de Estanho em Queiriga, Vila Nova de Paiva – Viseu.
  5. Repeses em Viseu – Viseu.
  6. Sabugal – Guarda.

Prospecção e Exploração de Be em Portugal Continental: mapa das concessões.

Principais ocorrências mundiais: minérios de Be (África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Áustria, Espanha, EUA, Etiópia, França, Itália, Japão, Madagáscar, México, Suíça, Suécia, Myanmar, Noruega, Namíbia, Brasil, China, Canadá, Paquistão, Polónia, República Checa, Rússia, Reino Unido, Ucrânia, Tanzânia, Zimbabué).

ScreenShot da Aplicação
Flash Icon
A visualização deste conteúdo requer a instalação do

Autor e Créditos

Autor:

  • Manuel Francisco Pereira
  • Elsa Vicente
 

Tópicos Relacionados

  • Berílio

    Grupo de Produção de Conteúdos de Química | 06/11/2007 | Tabela Periódica | Básico

  • Flúor

    Grupo de Produção de Conteúdos de Química | 05/07/2007 | Tabela Periódica | Básico

  • Bertrandite

    Manuel Francisco Pereira; Elsa Vicente | 16/12/2009 | Minerais | Intermédio

  • Crisoberilo

    Manuel Francisco Pereira; Elsa Vicente | 11/03/2010 | Minerais | Intermédio

 

Referências Bibliográficas

  • [1] Almeida, C.M.P., Estudo do filão aplitopegmatítico da mina da Bajoca, Almendra. Contribuição Científico-tecnológica, Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Porto, 2003.
  • [2] Blackburn, W.H. & Dennen W.A., Principles of Mineralogy, Second Edition, Wm. C. Brown Publishers, 1994.
  • [3] Carneiro F.S., Potencialidades Minerais da metrópole, base firme de desenvolvimentos industrial do país, Arquivos da Direcção Geral de Minas e Serviços Geológicos, 1971.
  • [4] Celso S. & Gomes F., Minerais Industriais: Matérias Primas Cerâmicas, Instituto Nacional de Investigação Científica, Aveiro, 1990.
  • [5] Cerný, P., Short Course in Granitic Pegmatites in Science and Industry, Ed. P. Cerný. Mineralogical Association of Canada Short Handbook, 1982.
  • [6] Clark, A.M., Hey’s Mineral Index: Mineral Species, varieties and synonyms, 3ª. Ed., Chapman & Hall, 1993.
  • [7] Constantopoulos, J.T., Earth Resources Laboratory Investigations, Prentiss-Hall, 1997.
  • [8] Dud’a, R. & Reij.L, A Grande Enciclopédia dos Minerais, Editorial Inquérito, 1994.
  • [9] Edwards, D. & King, C., Geocience: Understanding Geological Processes, Hodder & Stoughton, 1999.
  • [10] Emsley, J., The Elements, Claredon Press, Oxford, 1991.
  • [11] Enciclopédia Minerais e Pedras Preciosas, RBA Editores, 1993.
  • [12] Gaines R., Skinner H., Foord E., Mason B., Rosenzweig A., Danas’s New Minerology, 8ª. Ed., John Wiley & Sons, Inc., 1997.
  • [13] Galopim de Carvalho, A.M., Sopas de Pedra: De Mineralibus, I, Gradiva Publicações Lda., 2000.
  • [14] Gomes, C.L. & Nunes, J.E.L., Análise paragenética e classificação dos pegmatitos graníticos da cintura hercínica centro-ibérica, M. Portugal V. Ferreira (Coord.), A Geologia de Engenharia e os Recursos Geológicos, Imprensa da Universidade Ed., Coimbra, 2003, pp. 85-109.
  • [15] Grew, E. S., Reviews in Mineralogy & Geochemistry, Beryllium – Mineralogy, Petrology and Geochemistry, Mineralogical Society of America, 2002.
  • [16] Harben, P.W. & Bates, R.L., Industrial Minerals, Geology and World Deposits. Industrial Minerals Division, Metal Bulletin PLC, London, 1990.
  • [17] Harben, P.W. & Kuzvart, M., Industrial Minerals, A Global Geology. Industrial Minerals Information Ltd, Metal Bulletin PLC, London, 1996.
  • [18] Hurlbut, C.S. Jr., Les Minéraux et L’ Homme, Éditions Stock, Paris, 1969.
  • [19] Hurlbut, C.S. Jr. & Switzer G.S., Gemology, Johnn Wiley & Sons, Inc., 1979.
  • [20] Jesus, A.M., Pegmatites Mangano-litiníferas da Região de Mangualde, Com. Serv. Geol. Portugal, 1993, 65-210.
  • [21] Klein, C. & Hurlbut C.S., Manual of Mineralogy (after James D. Dana), Revised 21ª. Ed., John Wiley & Sons, Inc., 1999.
  • [22] Lima, A.M.C., Estrutura, mineralogia e génese dos filões aplitopegmatíticos com espodumena da região Barroso-Alvão, Tese de doutoramento em Ciências, Departamento de Geologia, Centro de Geologia, FCUP, Porto, 2000.
  • [23] Manutcherhr-Danai M., Dictionary of gems and geomology, Springer-Verlag, 2000.
  • [24] Mendes, H. S. & Silva, M. I., Mineralogia e Petrologia – Segundo as lições do Prof. Eng. Luís Aires de Barros, Edição da Secção de Folhas da A.E.I.S.T., 1965.
  • [25] Neves, M.O., Caracterização químico-estrutural e petrográfica das micas litiníferas da mina do Castanho Nº1 (Gonçalo-Guarda), Tese de mestrado em Geoquímica, Departamento de Geociências da Universidade de Aveiro, Aveiro, 1993.
  • [26] Pereira, M.F.C, Estudo mineroquímico interpretativo da evolução da alteração de fosfatos de manganês – triplites de Mesquitela (Mangualde), Departamento de Geociências da Universidade de Aveiro, 1994.
  • [27] Pereira, M.F.C, Análise estrutural e mineralógica do aparelho pegmatítico de Pereira de Selão (Seixigal) - Vidago (N de Portugal), Tese de doutoramento em Engenharia de Minas, Departamento de Minas, IST-UTL, Lisboa, 2005.
  • [28] Putnis, A., Introduction to mineral sciences, Press Syndicate of the University of Cambridge, 1992.
  • [29] Ramos, J.M.F., Mineralizações de metais raros de Seixo Amarelo– Gonçalo (Guarda). Contribuição para o seu conhecimento, Tese de doutoramento, Fac. Cienc. Univ. Lisboa, Lisboa, 1998.
  • [30] Rewitzer, C. Wald, F. & Roschl, N., 1984, Portugal (Mangualde), Lapis Mineralien Magazin, 9, (12) pp. 21-26.
  • [31] Schnorrer-Kohler, G. Bendada, 1991, ein Phosphatpegmatit im Mittelteil Portugals, Lapis Mineralien Magazin, 5, pp. 21-33.
  • [32] Smirnov, V. I., Ore Deposits of the USSR, Pitman Publishing, 1997.
  • [33] Staff of U.S. Bureau of Mines, Mineral Facts and Problems, 1985 Edition, Bulletin 675, United States Department of the Interior, 1956.
  • [34] Velho J., Gomes C. & Romariz, Minerais Industriais, Geologia, Propriedades, Tratamentos, Aplicações, Especificações, Produções e Mercados, Gráfica de Coimbra, Coimbra, 1998.
 

Para comentar tem de estar registado no portal.

Esqueceu-se da password?

© 2008-2009, Instituto Superior Técnico. Todos os direitos reservados.
  • Feder
  • POS_conhecimento