e-escola

Vanádio Básico

Publicado em 24/11/2008 

Aplicações

A maior parte do vanádio produzido é aplicado em ligas metálicas. O vanádio é frequentemente adicionado a aços, tornando-os resistentes à corrosão, ao choque, à vibração e a temperaturas elevadas.

Um exemplo histórico menos honroso é a utilização de ligas metálicas contendo vanádio, na guerra, e em particular na primeira Grande Guerra. Por permitir o fabrico de aços leves e duros, o vanádio facilitou o fabrico de aviões de guerra mais leves, aos quais foi, assim, possível adicionar canhões. Apetrechada com este novo género de equipamento, a força aérea francesa causou espanto no decorrer da I Guerra Mundial. Por esta altura, iniciou-se também o uso de vanádio no fabrico de inúmeras armas e protecções para militares.

Por apresentar uma elevada capacidade de resistência à deformação, reacção ou fusão quando exposto a elevadas temperaturas, o aço contendo vanádio é normalmente utilizado no fabrico de reactores nucleares. A presença deste metal possibilita maior resistência do reactor às elevadas temperaturas e pressões a que este é sujeito. Outra vantagem de usar vanádio na construção de reactores nucleares é que este absorve muito pouco os neutrões que são libertados no decorrer da fissão do urânio, minimizando assim a interferência na reacção nuclear.

Um outro exemplo histórico da utilização de vanádio é a sua presença em ligas metálicas utilizadas no fabrico do primeiro automóvel produzido em massa. Henry Ford foi o responsável por fundar a empresa que originou a produção em massa do famoso Ford-T. Este modelo automóvel continha um número significativo de peças fabricadas a partir de ligas de aço com vanádio. Henry Ford chegou inclusive a comentar que “Se não fosse o vanádio não haveria automóveis”.

Este elemento possui ainda propriedades catalíticas importantes, nomeadamente sob a forma de pentóxido, V2O5. Um exemplo das aplicações catalíticas deste composto é o seu uso na produção de ácido sulfúrico, catalisando um passo do processo em que SO2 é transformado em SO3. Também é utilizado em catalisadores de polimerização.

Autor e Créditos

Autor:

 

Para comentar tem de estar registado no portal.

Esqueceu-se da password?

© 2008-2009, Instituto Superior Técnico. Todos os direitos reservados.
  • Feder
  • POS_conhecimento