e-escola

O nemátodo Caenorhabditis elegans como modelo de infecção Intermédio

Publicado em 07/04/2008 

Ficha de Aprendizagem

Síntese

Apesar do número crescente de genomas sequenciados e anotados, o papel preciso dos prováveis factores de virulência, codificados nesses genomas e identificados em estudos in silico, permanece, muitas vezes, por esclarecer. Este é o caso das bactérias do complexo Burkholderia cepacia. O recurso a modelos de infecção, tem assim permitido elucidar alguns destes mecanismos. O esclarecimento dos mecanismos moleculares de virulência de bactérias do complexo Burkholderia cepacia usando o nemátodo Caenorhadbitis elegans como modelo de infecção permitiu identificar as fenazinas como determinante de virulência.

Palavras-chave
  • Modelos de infecção
  • Caenorhabditis elegans
  • Factores de virulência.
Objectivos de aprendizagem

O desafio de aprendizagem neste tópico envolve os seguintes objectivos:

  • Compreender a utilidade do uso do nemátodo como modelo de infecção no estudo da patogenicidade dos microrganismos do BCC
  • Identificar as principais vantagens e limitações do uso deste modelo
  • Distinguir estirpes virulentas das não virulentas, com base na análise dos resultados apresentados
Pré-requisitos

Os seguintes conhecimentos são essenciais para a compreensão deste tópico

O nemátodo C. elegans é actualmente um modelo muito usado em estudos de patogenicidade de bactérias devido à elevada semelhança entre os factores de virulência necessários para a patogénese no nemátodo e no Homem (Cardona et al., 2005). Foi já demonstrado que este nemátodo pode ser muito útil para elucidar mecanismos de virulência de bactérias do BCC, tais como a produção de toxinas extracelulares e mecanismos de quorum-sensing (Mahajan-Miklos et al., 1999; Gan et al., 2002; Kothe et al., 2003; Ruiz-Diez et al., 2003; Huber et al., 2004; Cardona et al., 2005; Sifri et al., 2005).

O nemátodo C. elegans é um pequeno verme que vive no solo, com um comprimento até 1,2 mm na fase adulta (ver figura 1). Encontra-se largamente distribuído por todas as partes do globo, alimentando-se de bactérias. O ciclo de vida é de cerca de 3 dias em condições óptimas, sendo capaz de produzir grande quantidade de ovos, geneticamente idênticos, visto que o morfismo sexual é predominantemente hermafrodita (99.9%) (Altun and Hall, 2006).

Bio_X_CGD 3

Fig. 1 – O nemátodo Caenhorhabditis elegans em diferentes fases de desenvolvimento: A – Ovos, B – Vermes na fase adulta, C – Vermes na fase larvar L1.

Autor e Créditos

Autor:

 

Tópicos Relacionados

 

Referências Bibliográficas

  • [1] Ramos, C. G., Exploiting the Caenorhabditis elegans infection model to unveil novel virulence factors from bacteria of the Burkholderia cepacia complex", MSc thesis, Instituto Superior Técnico, 2007.
  • [2] L.M. Moreira, P.A. Videira, S.A. Sousa, J.H. Leitão, M.V. Cunha, I. Sá-Correia, 2003, "Identification and physical organization of the gene cluster involved in the biosynthesis of Burkholderia cepacia complex exopolysaccharide", 312: 323-333.
 

Para comentar tem de estar registado no portal.

Esqueceu-se da password?

© 2008-2009, Instituto Superior Técnico. Todos os direitos reservados.
  • Feder
  • POS_conhecimento