e-escola

Esterilização pelo calor: autoclavagem Básico

Publicado em 18/11/2005 

Esterilização por calor húmido em autoclave

Fig. 1 - Esterilização por calor húmido em autoclave.

Placas depois de autoclavadas

Fig. 2 - Placas depois de autoclavadas.

A utilização de calor em ambiente húmido é um dos métodos mais eficazes de destruição de microrganismos.

A morte das células microbianas por acção do calor húmido resulta da desnaturação das proteínas e da destabilização da membrana citoplasmática. Ocorre quando as células são sujeitas a temperaturas superiores à temperatura máxima de crescimento dos microrganismos em causa.

A esterilização por calor húmido é efectuada em autoclave (figura 1), que consiste numa câmara com vapor de água saturado à pressão de 1 atm acima da pressão atmosférica, a que corresponde, em locais ao nível do mar, uma temperatura de ebulição da água de 121ºC. No laboratório de Microbiologia, é usual sujeitar o material a esterilizar a 121ºC (1 atm; pressão relativa) durante 15 minutos, de modo a assegurar a morte de todas as formas de vida microbianas, incluindo a dos endósporos bacterianos, mais resistentes ao calor que as células vegetativas. Contudo, o tempo necessário para se esterilizar convenientemente os materiais, a esta temperatura, depende da natureza do material a esterilizar e/ou do seu volume.

O calor húmido sob pressão é utilizado na esterilização de meios de cultura que não contenham componentes termolábeis e na esterilização de material de plástico e de vidro a utilizar nos trabalhos experimentais de Microbiologia.

É também usado na descontaminação de roupas e instrumentos médicos e cirúrgicos, assim como de diversos materiais, reutilizáveis ou descartáveis, contaminados com culturas de células viáveis, antes de serem lavados ou colocados no lixo.

Autor e Créditos

Autor:

 

Para comentar tem de estar registado no portal.

Esqueceu-se da password?

© 2008-2009, Instituto Superior Técnico. Todos os direitos reservados.
  • Feder
  • POS_conhecimento