e-escola

Electroforese de ácidos nucleicos - fundamentos Intermédio

Publicado em 01/12/2005 

A electroforese em gel por acção de um campo eléctrico é frequentemente utilizada para separar, e estimar o tamanho, de fragmentos de ácidos nucleicos. Através da comparação da distância percorrida pelos fragmentos com a percorrida por fragmentos de peso molecular conhecido (padrões de peso molecular) é possível estimar o peso molecular de cada fragmento da amostra a analisar.

A electroforese de DNA é normalmente realizada em gel de agarose. Quando sujeitos a um campo eléctrico, os ácidos nucleicos migram em direcção ao pólo positivo, uma vez que apresentam carga negativa a pH neutro. A agarose funciona como uma rede cujos poros deixam passar mais facilmente as moléculas mais pequenas, que vão portanto migrar mais do que as de maiores dimensões. A migração de um fragmento de DNA na forma circular, como é o caso de um plasmídeo não digerido, é diferente da migração do mesmo plasmídeo sob a forma linear (após difestão com uma enzima de restrição). Por outro lado, moléculas com uma conformação mais compacta migram mais rapidamente do que moléculas com uma conformação molecular mais “relaxada”. Na maior parte das preparações com plasmídeos não diferidos, é possível encontrar pelo menos duas formas topologicamente distintas de DNA, são elas: a forma circular e a forma superenrolada, migrando esta última mais rapidamente do que a primeira.

A  electroforese em gel é frequentemente utilizada para estimar o tamanho de fragmentos de ácidos nucleicos. Através da comparação da distância percorrida pelos fragmentos com a percorrida por fragmentos de peso molecular conhecido (padrões de peso molecular) é possível inferir sobre o peso molecular de cada fragmento da amostra a analisar.

Autor e Créditos

Autor:

 

Para comentar tem de estar registado no portal.

Esqueceu-se da password?

© 2008-2009, Instituto Superior Técnico. Todos os direitos reservados.
  • Feder
  • POS_conhecimento